Receba atualizações por Email

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Educação, um processo de socialização


Daiana Serafim Lavoura*  

É comum pensarem na escola como um espaço para aprender um conteúdo fechado, limitado, programado, ou seja, preestabelecido dentro das salas de aula, e de fato, ainda é comum acontecer, porém, é preciso deixar de lado esse senso comum, essa generalização de educação. No espaço escolar é possível trocar experiências, encontrar as diferenças, entender e lidar com as mesmas, crescer com as dificuldades que surgirem pelos caminhos do cotidiano escolar. É por esse motivo que é tão importante que nesse processo a família esteja atenta ao comportamento dos filhos frente ao contexto educacional, ou seja, como se dá essa relação. É prazerosa ou sacrificante? É entusiasmante ou nem tanto?

A motivação da família com relação a esse tema que tratamos aqui é extremamente relevante para a história que a criança constrói enquanto sujeito do mundo, nas suas vivências progressivas. Esse futuro adulto vai tendo o conhecimento de situações, de regras, de consequências, de curiosidades, e o melhor de tudo, vive experiências diversas com outros indivíduos. Para que a educação de nossas crianças seja plena e significativa é necessário diálogo em casa, abertura da família em ouvir a criança e o interesse da mesma em saber como está sendo o dia a dia daquele educando. Sabemos que é em casa que tudo acontece para a criança, são os primeiros contatos de mundo, de vida e de socialização, depois passamos para outros espaços.

No espaço da escola se dá muitas oportunidades para aprender e também para ensinar, assim se soma conhecimentos e trocas muito válidas para o cognitivo infantil e para as vivências do educador. Para desenvolverem-se mentes saudáveis, criativas e felizes, é necessário estimular o pensamento da criança, a compreensão que a mesma faz de alguns fatos. É preciso proporcionar convivências para termos cidadãos sociáveis, interessados e educados no futuro. Não deixemos a criança se criar com a TV ou com o computador apenas, não que ela não possa desfrutar dos mesmos, mas é preciso haver momentos diferenciados na vida desse ser que cresce e se desenvolve a cada instante que passa.
Feliz da escola que oferece muitos momentos na vida de seus educandos, feliz dos pais que apoiam, incentivam e continuam esse trabalho lindo de educar seus filhos para o mundo, não o virtual, digo o mundo real, não o de faz de conta.É preciso que enquanto sociedade exercitemos nossa visão para a educação significativa, no sentido de nos apropriarmos dela, de entendê-la, de conhecê-la na sua intimidade, pois a escola não é um lugar à parte no mundo.  

*Psicopedagoga

Nenhum comentário: