Receba atualizações por Email

quinta-feira, 23 de abril de 2015

Pânico nas hostes

Pânico nas hostes

Por: Luciano Pires*

Numa semana que começa com centenas de milhares de brasileiros nas ruas em manifestações contra as lambanças que assolam o país, é preso João Vaccari Neto, tesoureiro do PT, o Tribunal de Contas da União considera que existe crime nas manobras fiscais do governo e os partidos da oposição (Democratas, PPS, PSDB e PSB) conseguem reunir 199 assinaturas para a instalação de uma CPI para investigar o BNDES.
E ainda é quinta-feira…
Os milhares nas ruas demonstram que a insatisfação popular continua, que os diversos grupos estão se organizando e gerando ações efetivas, como a carta apresentada pela Aliança dos Movimentos de Rua no Congresso.
Vaccari na cadeia é uma bomba para o PT que, além de já ter visto a maioria do alto escalão atrás das grades, tem mais uns na mira da PF.
A decisão do TCU abre um flanco importante para os que entendem que há condições de propor o impeachment de Dilma Rousseff. É a primeira argumentação sólida que, se comprovada, coloca a presidente para valer na berlinda.
O BNDES tem uma carteira de 400 bilhões de reais, que ajudou a financiar muitas das empresas investigadas pela operação Lava Jato, além de proporcionar estranhíssimos empréstimos secretos para países amigos na América do Sul e África. A CPI pretende investigar esses empréstimos e financiamentos. Será a segunda CPI em funcionamento para investigar desvios do governo petista.
Pânico nas hostes.
Na semana passada um cidadão entrou com denúncia de crime de responsabilidade contra o ministro Dias Toffoli. A denúncia não foi aceita pela mesa do Senado, sendo arquivada por Renan Calheiros. Agora o cidadão em questão, Matheus Faria, vai ao STF. Depois à Corte Interamericana. Em seguida à Corte Internacional de Justiça em Haia. E prepara outro pedido de impeachment, desta vez contra Luiz Inácio Adams, advogado geral da União. E na esteira dele, outros entrarão com outras ações.
Naquela rua a mulher bate panela na varanda gourmet. O motorista de táxi em Recife está revoltado. As páginas do Facebook estão pegando fogo. Mais jornalistas mostram-se indignados. O povo reage mal nas ruas quando bandeiras vermelhas se erguem. As pesquisas de satisfação com o governo despencam.
Pânico nas hostes.
Aí surgem os de sempre com o “não vai dar em nada”, ” tá tudo combinado”, “são coxinhas da elite branca”, blablabla, mimimi…
O negócio é o seguinte: por menos que dê em alguma coisa, essa sequência de iniciativas está tirando a paz dos que tranquilamente pintavam e bordavam com a coisa pública. Está tirando o foco dos que estavam confortavelmente aboletados no poder, está drenando suas forças, abrindo frentes de combate, derrubando argumentos, explicitando mentiras, educando as pessoas e, principalmente, motivando para que mais gente, inclusive políticos, se engaje na luta pela moralidade.
E os de sempre que continuam com a chorumela do “vai dar em nada” não perceberam que acabou a indiferença.
Acabou a indiferença.
O Brasil está mudando.

*Luciano Pireso autor: Escritor, palestrante, podcaster. Um personal trainer de Fitness Intelectual.
http://www.portalcafebrasil.com.br/